Projeto AMP: por uma navegação mais rápida em dispositivos móveis

Categoria: dothnews

Como algumas pessoas já sabem, aqui na dothCom temos o dothNews (www.dothnews.com.br), um software para web jornalismo.

Devido ao grande alcance dos portais de notícias que utilizam nosso software, no final de outubro recebemos do Google um convite para participar e contribuir num projeto que pretende acelerar drasticamente a velocidade de acesso as páginas dos sites em smartphones e tablets. Trata-se do Projeto AMP.

O que é o projeto AMP?

Smartphones e tablets revolucionaram a forma como consumimos informação. Editores de todo o mundo utilizam a internet móvel para alcançar estes leitores, mas a experiência de navegação pode, às vezes, deixar a desejar. Cada vez que uma página demora muito para carregar, eles perdem um leitor – e a oportunidade de gerar receita de publicidade ou novas assinaturas.

A situação se repete com as empresas que anunciam nestes sites: as páginas levam tanto tempo para serem exibidas por completo que potenciais clientes desistem de acessar o conteúdo antes mesmo que os anúncios sejam exibidos.

Após conversas com editores e empresas de tecnologia ao redor do mundo, uma nova iniciativa de código aberto chamada Accelerated Mobile Pages (AMP) foi anunciada. O objetivo é melhorar muito o desempenho na navegação na internet móvel aberta.

“Queremos páginas que abriguem formatos diversos de conteúdo, como vídeo, animações e gráficos, funcionando em conjunto com anúncios inteligentes, que carreguem instantaneamente. Também queremos que o mesmo código de programação funcione em diversas plataformas e dispositivos. Assim, a informação irá aparecer em qualquer lugar num instante – não importa qual tipo de smartphone, tablet ou dispositivo móvel você esteja usando.”

Quem poderá usar AMPs?

O projeto AMP está aberto a todos – editores, desenvolvedores de aplicativos, plataformas de conteúdo e criadores. Nessa primeira fase do projeto, um grupo de editores e plataformas se uniu para demonstrar como AMPs podem transformar a experiência de internet móvel. Eles vão de empresas de tecnologia como Twitter e Google para plataformas como Pinterest e WordPress e de editores como Vox e The New York Times até The Guardian e El País. No Brasil, Abril, Folha de S.Paulo, Globo, e UOL já fazem parte desta iniciativa.

Ficará a critério de cada editor do dothnews aderir ou não ao projeto, visto que terão que ser feitas novas implementações no tema do site. Todavia ressalto a enorme possiblidade do aumento de tráfego nos sites, pois o Google pretende em 2016 mostrar páginas AMP com um destaque maior no resultado da busca.

No futuro, diversos produtos do Google serão integrados à páginas AMP HTML. Hoje, eles estão anunciando que cerca de 30 editores, de diferentes lugares do mundo, estão participando da iniciativa. Já podemos até testar essas modificações no google. Para isso acesse esse endereço pelo celular g.co/ampdemo/br e busque por “dilma” ou “Correio do Estado”.

AMP Pages abrirão instantaneamente na página de resultados do google.

AMP Pages abrirão instantaneamente na página de resultados do google já em 2016.


Sobre o Autor
Gabriel Novaes Engenheiro de Computação na dothCom.
Posts Relacionados
Comentários